Top 5 l Dark Souls 3: Chefões

5 (100%) 1 vote

Para o último jogo dessa incrível série, separei os 5 chefes obrigatórios mais difíceis (Ou Nameless King seria obviamente um possível primeiro) de acordo com a minha experiência. Joguei de clérigo, alternando armas como maças e espadas de uma mão e sempre com escudo. Frustrante, mas recompensador, cada pequeno sucesso no universo Souls traz uma satisfação pessoal incrível e o final é uma das experiência mais torturantes e prazerosas que já vivi. A saga chega ao fim com o recente anúncio do Dark Souls Trilogy e a From Software vai partir para novos projetos. O terceiro títulos da série é, sem dúvida, um dos melhores jogos dessa geração.

5 – Pontífice Sulyvahn


Um dos chefes mais imponentes do Dark Souls 3 em um cenário belíssimo. A catedral é um local de batalha violento contra esse poderoso boss e sua espada dupla Elemental. A esquiva e a defesa com o escudo precisam ser quase perfeitas para derrubar esse incrível chefe. A primeira fase dele é OK até conseguir entender seus padrões de ataques, que até são fáceis para bloquear, mas após metade do seu HP, a história é outra. Ele invoca um poderoso espírito/clone aumentando seu poder destrutivo lançando dois ataques de forma consecutiva, com o clone atacando antes. Nem tente bloquear nesse momento e aqui é a hora de encontrar espaços ao esquivar dos seus ataques e desferir golpes até conseguir derrubar esse cavaleiro desafiador.

4 – Abyss Watchers

Chefes que vem em dupla são um pesadelo na série há anos. No terceiro título, não é exceção, os Abyss Watchers são rápidos e punem de uma forma mais rápida ainda. É necessário ter um um excelente timing para executar o líder deles e distrair o máximo possível com um terceiro Abyss Watcher que está em conflito com seus dois principais inimigos. O ideal é ficar em espaço mais abertos e cuidado para não se empolgar na hora de bater por conta do HP baixo do boss. Paciência é sempre essencial e os combos devem ser disferidos , de preferência, quando o segundo boss estiver distraído ou desmaiado.

3- Lothric and Lorian

Dois chefes juntos simultaneamente não é nada bom, mas o caso de Lothirc e Lorian é um caso diferente, pois são batalhas consecutivas, o que não diminui o pesadelo. O irmão mais velho de Lothric é seu primeiro adversário. Extremamente apelão, é necessário ter cautela contra Lorian e saber esquivar dos seus golpes no tempo certo, principalmente os que te matam em apenas um único hit. A batalha é longa e após destruir Lorian, Lothric entra na parada e aí que o bicho pega. Os irmãos se fundem e formam um verdadeiro chefe desafiante, usando ataques mágicos e físicos simultaneamente. A cautela precisa ser redobrada e lembrar que se morrer nessa etapa vai ter que matar Lorian novamente. Um pesadelo em família que certamente não vou esquecer.

2- Soul of Cinder

O último chefe de Dark Souls 3 não podia faltar nessa lista, e é digno de um chefe para fechar o game com chave de ouro. Esse boss possui quatro armas alternativas na sua primeira fase (sim, ele também tem duas fases), e cada arma que ele usar exige uma proximidade diferente. Espada longa, espada curva, cajado e lança. Foi necessário eu usar espada nessa batalha para desferir ataques mais rápidos. Nem pense em ir com peso acima de 70%, pois a esquiva aqui é fundamental para facilitar a batalha, se é que isso é possível. Os melhores momentos para desferir dano eram quando o chefe usava a lança ou o cajado. Ao sacar a espada curvada, minha opção era fugir até ele mudar de arma novamente, pois eu não tinha chance contra essa arma.  Foram muitas dezenas de mortes até conseguir derrotar a primeira fase do Soul of Cinder, sem contar que nessa fase ele podia se curar em alguns momentos, o que frustrava ainda mais. Ao derrotar a primeira fase, o chefe regenera seu HP e parte para cima com uma espada longa flamejante capaz de desferir um combo que te mata facilmente. Você morre bastante, mas a segunda fase é um pouco menos difícil por existir padrões de ataques mais previsíveis e o chefe fica mais aberto para receber ataques.

1-Dancer of the Boreal Valley

Ok, esse chefe me deu dor de cabeça além do normal. De início parece ser lento e previsível, mas é aí que você se engana. Seu agarrão elimina seu personagem em uma única investida. Essa luta permite poucos erros e a dançarina faz você dançar bastante. O espaço também é pequeno e sua capacidade de deslocamento e alcance das espadas duplas é bem longa, ou seja, não esquive para  trás contra esse chefe. Seja ofensivo e recue apenas nos momentos em que ela for desferir os ataques em área. O chefe exige um nível de concentração intenso, você não pode piscar aqui ou vai perder o momento de ser feliz. Após chegar na metade do seu HP, a dançarina vem ainda mais violenta, com ataques em área que te evaporam e dando pouca abertura para receber dano. Aqui, é necessário dosar o close combat e se preparar para se afastar dos golpes em área. Como uma verdadeira dança, é preciso premeditar cada passo desse chefe insano. No mais, boa sorte e sucesso nessa série incrível que é Dark Souls.

Leave a Reply

%d bloggers like this: