Análise | Better Call Saul (temporada 4 – episódio 7)

Rate this post

Quando as coisas acabam, geralmente, não se percebe. O que torna a coisa ainda mais desoladora, com toda a certeza. Provavelmente o episódio mais triste de toda a temporada, Better Call Saul fez questão de focar, quase de modo taxativo, que os caminhos de Jimmy e Kim seguirão, de fato, jornadas diferentes.

Começamos o episódio de modo brilhante, sem os ângulos obtusos comuns do estilo de Vince Gilligan e Peter Gould, mas com uma simples tela dividida. E é aqui que vemos, em uma simples sequência de cenas, como Jimmy McGill e Kim Wexler já não são mais um casal, são, talvez, a sombra do que foram um dia. Pra completar, a canção de abertura, uma versão da canção que dá nome ao episódio, Something stupid (Uma coisa estúpida), famosa na voz de Frank e Nancy Sinatra (sim, eu sou velho) completou uma abertura de episódio para derrubar qualquer esperança. Não dá pra deixar de notar, mais uma vez, como as coisas evoluem de modo lento e gradual até virarem algo irreversível. A relação dos dois traçou esse caminho desde a temporada passada, e só agora temos um olhar completamente aberto sobre o que espera esses dois quando dos acontecimentos de Breaking Bad.

Um início brilhante e triste.

Aliás, a atmosfera da série começa a ser formada de modo também mais claro. Foi o primeiro episódio em que deu pra sentir que Jimmy está, cada vez mais, abraçando Saul, agora de modo até oficial, e seu senso de empatia está morrendo com isso, como vemos no momento festivo do episódio. Talvez ainda vejamos um leve senso disso em sua relação com Huell, mas essa relação parece só constatar, mais uma vez, a sua situação com Kim e com seus antigos planos, cada vez mais somente uma ideia vaga.

Outro ponto da atmosfera de Braking Bad em Better Call Saul é que finalmente temos a volta e Hector Salamanca e mais uma mostra do gênio cruel de Gus Fring contra seu inimigo, até para perceber os detalhes que Hector guarda em seu silêncio. Por fim, no arco de Mike, vemos uma visão que conhecemos muito bem das aventuras de Walter White e Jesse Pinkman. Os planos de Gus são certamente tomar o mercado dos Salamanca, e ele começa por montar sua famosa base de operações para “cozinhar”.

Os caminhos diferentes nos lembram do fim.

O que nos dá mais uma tristeza, pois também lança um vislumbre do fim. Conforme as coisas se encaminham adentrando e se alinhando à narrativa de Breaking Bad, sabemos que a transformação de Jimmy em Saul também se aproxima de sua completude, e nossos caminhos também se separarão.

Por ora, aproveitemos os últimos episódios dessa série que parece não perder a mão e o seu propósito, mesmo que tenhamos que lidar com momentos como os dessa semana.

Fiquem com o trailer do próximo episódio, que chega na próxima terça-feira.

Leave a Reply

%d bloggers like this: