Batman: Arkham Asylum l Sobreviva ao circo de horrores

5 (100%) 2 votes

Ao longo dos anos, Batman sempre foi um destaque em todas as mídias em que esteve presente, e com os videogames, é claro que isso não seria diferente. Depois de protagonizar títulos de qualidade mediana à títulos decentes que são pouco comentados na geração dos consoles de 128bits, Batman viria estrelar um título que viria redefinir por completo as adaptações dos super-heróis de quadrinhos para os videogames. Produzido pelo estúdio novato RockySteady e publicado em uma parceria entre a Eidos Interactive e a Warner Bros. Interactive Entertainment, Batman: Arkham Asylum viria chegar ao PlayStation 3, Xbox 360 e Computadores no dia 25 de Agosto de 2009. Trazendo visuais que são estonteantes até mesmo aos padrões atuais e mecânicas de jogo que enfim deram poder e a noção digna aos jogadores do que seria encarnar na pele do cavaleiro das trevas criado por Bill Finger e Bob Kane nas páginas da Detective Comics #27 no ano de 1939.

O enredo de Arkham Asylum se assemelha bastante à uma narrativa facilmente encontrada em uma história em quadrinhos ou em uma série animada estrelada pelo morcegão. O que não é uma coisa tão a toa, seu roteirista, Paul Dini, é um renomado roteirista veterano do departamento de animações da Warner responsável pela co-criação da famosa Harley Quinn, tendo já tomado a frente dos roteiros de diversos episódios do clássicos Batman: A série Animada (19921995) Batman do Futuro (19992001) e Batman: Os Bravos e Destemidos (20082011), além ter sido roteirista da Detective Comics no período de 2006 à 2009. O enredo de Arkham Asylum se inicia com o Batman (dublado por sua clássica voz norte americana, Kevin Conroy)  entregando uma “carga” aos médicos e seguranças do Asilo Arkham, essa carga é ninguém menos e ninguém mais que seu eterno arqui-inimigo Coringa (com a voz do mestre Jedi, Mark Hamill). Tudo seguia sua rotina e padrão como planejado, até o recinto inteiro perder sua força principal e entrar em estado de emergência. Batman então percebe que tudo não passava de mais um esquema orquestrado pelo palhaço do crime para tomar o poder em Arkham e formar uma aliança com todos que foram jogados lá cruzado encapuzado. A rebelião criada pelo Coringa transforma as instalações do Arkham é um verdadeiro pesadelo, e cabe ao Batman salvar os reféns e restaurar a ordem colocando todos os psicopatas e super-vilões que estão à solta em seus devidos lugares!

Em quesito de gameplay, Arkham Asylum não deixa nada a desejar. como citado no primeiro paragrafo o jogo foi o primeiro (que mais tarde se desenrolaria em uma série) a trazer a até então experiência definitiva do que se sempre sonhou de um jogo eletrônico do Batman. Diferente do passado aonde diversos jogos do morcegão se resumiam à beat ’em ups, Arkham Asylum traz ao jogador um conjunto de ótimas ideias. Facilmente enganado como jogo “sandbox“, mas se trata na verdade de um jogo “metroidvania“, aonde se existe um único e robusto cenário dividido em áreas distintas na qual só poderão se acessadas através requisitos obrigatórios, como novas habilidades, equipamentos e itens específicos que servirão como “chaves de acesso“, tendo como auxilio a sua “bat-visão” para facilitar o rastreamento e resolução de enigmas. Seu sistema de combate se divide em abordagens diretas ou furtivas, aonde o jogador deverá sempre analisar a situação e decidir como proceder. Ao optar por uma abordagem direta, o jogador deverá estar em constante atenção e estudar a estratégia certa para não receber um espancamento coletivo, o jogador jamais deverá se resumir a utilizar apenas os punhos cerrados e saber usar o ambiente ao seu favor e seus equipamentos de forma adequada, principalmente vindo de inimigos mais diferenciados que requerem uma “atenção especial”. O jogo fornece ao jogador um sistema pontos de experiência que são adquiridos ao concluir os combates, objetivos ou puzzles, os pontos acumulados deverão ser gastos pelo jogador para melhorias físicas, equipamentos e o acesso à novos golpes e combos. O jogo também colocará o Batman cara à cara com alguns de seus super vilões icônicos, trazendo embates interessantes e com estrategias únicas.

O jogo trará uma jornada de pelos 10 horas de duração, podendo se expandir à uma experiência de mais de 20 horas contando uma campanha estrelada pelo próprio Coringa, desafios extras e as dezenas de coletáveis e segredos espalhados pelo Asilo Arkham.

Batman: Arkham Asylum teve ótimas avaliações lhe trazendo vários prêmios do BAFTA e na VGA. Um ano após sua estreia nos consoles, Arkham Asylum recebeu sua versão “Game of the Year” contendo todo seu conteúdo extra via DLC. Em 2016, Arkham City foi relançado com visuais remasterizados na coletânea  “Batman: Return to Arkham” para o PlayStation 4 e Xbox One. No geral, acreditamos que Batman: Arkham Asylum é um título essencial para os jogadores de videogame de longa data e que são fãs do maior detetive dos quadrinhos da DC comics.

Leave a Reply

%d bloggers like this: