Batman: Arkham City l Bem vindo à um reino de pura anarquia

5 (100%) 1 vote

Após o sucesso de críticas e vendas que Batman: Arkham Asylum gerou no mercado, não demorou muito para que o estúdio britânico Rocksteady se tornasse uma subsidiaria da Warner Bros. Interactive Entertainment de encomendar uma sequência do game, dito e feito, em 18 de Outubro de 2011, chega ao mercado Batman: Arkham City para o PlayStation 3, Xbox 360 e Computadores. Sendo uma sequência direta de seu antecessor, Arkham City traz mais uma vez o Morcego de Gotham não apenas em um único complexo abarrotado de vilões, mas em uma cidade inteira fechada aonde largaram todas as grandes mentes criminosas de Gotham. Ainda re-aproveitando a Unreal Engine 3 e alguns modelos de personagens para dar vida ao jogo, e trazendo mais uma vez o lendário Paul Dini à cargo do roteiro principal juntamente com os novatos Paul Crocker e Sefton Hill, Arkham City soube muito bem expandir a franquia sem precisar apresentar um “mais do mesmo”.

Se passando um ano após o incidente ocorrido no Asilo Arkham, o diretor do complexo Arkham, Quincy Sharp, tomou para si todos os créditos ao frustar os planos da insurreição do Coringa e sua aliança com os demais detentos do internato, após ganhar notoriedade com essa farsa, Sharp conseguiu garantir e manter a opinião pública ao seu favor, garantindo sua eleição como Prefeito de Gotham City. Alegando que tanto Asilo Arkham como a Penitenciária de Blackgate não tinham mais condições de manter seus prisioneiros, Sharp então fechou todo o distrito conhecido como “Beco do Crime” e o tornou uma prisão de segurança máxima conhecida por Cidade Arkham sob o comando do psiquiatra Hugo Strange e seu exército particular formado por mercenários da organização conhecida por TYGER. O Prefeito Sharp  então decreta que todos aqueles que possuam qualquer percentual criminoso devem ser transferidos para a Cidade Arkham, e para piorar ainda mais a situação, o Diretor Strange dá total liberdade para as ações de todos os detentos da Cidade Arkham, requisitando apenas que os mesmo não ultrapassem os muros da prisão. Não concordando com a situação, Bruce Wayne protesta contra as decisões do Prefeito Sharp e do Diretor Hugo Strange, ao visitar a Cidade Arkham para um protesto e dar sua opinião a uma coletiva de impressa, Wayne se vê preso à uma armadilha orquestrada pelo Diretor Strange, que acaba por descobrir sua identidade secreta como o Batman e lhe revela que pôs em prática o seu plano intitulado de Protocolo 10. Conseguindo escapar do Diretor Strange e seus seguranças da TYGER, Wayne consegue contactar seu mordomo Alfred Pennyworth que lhe envia uma cápsula contendo seu “manto” e os equipamentos necessários para enfrentar os perigos que hão de vir pela frente.

Se tratando de sua gameplay, Arkham City trouxe toda sua “bagagem” completa de seu título antecessor, já que agora o jogador terá uma experiência quatro vezes maior. O jogo deixou de ser apenas um metroidvania como agora também traz elementos dos jogos em sandbox, com uma quantidade ainda maior inimigos e chefes que estão com uma com uma inteligência artificial mais precisa e refinada, ao mesmo tempo que o jogado terá acesso a novas estrategias e possibilidades ao enfrenta-los. Já tendo acesso à  todas técnicas de Arkham Asylum, Arkham City dobra sua lista de combos e ataques que poderão ser destravados com pontos de experiência ao ter sucesso em seus objetivos. O jogo ainda traz novas divertidas e interessantes mecânicas de investigação e rastreio, diversas sidequests e uma das grandes surpresas e talvez um dos pontos mais divertidos do jogo, a possibilidade de explorar a Cidade Arkham com a Mulher Gato e completar missões exclusivas da personagem, bastando apenas o jogador encontrar um ponto indicado no mapa para trocar de personagens. A Campanha trará ao jogador uma jornada de pelo menos 20 horas, podendo se estender para 50 horas ao completar todos os seus objetivos secundários espalhados pelas 9 diferente áreas da Cidade Arkham, além de suas campanhas extras e desafios via DLC.

Se Arkham Asylum já conseguiu trazer uma experiência satisfatória para os fãs do Batman, Arkham City consegue explorar ao máximo tudo que veio de seu antecessor. Além de impressionar os jogadores pela belíssima trilha composta pela dupla Nick ArundelRon Fish. O jogo recebeu diversos prêmios no BAFTA e VGA que lhe rendeu diversos prêmios ao disputar com gigantes no mesmo ano como TheLegend of Zelda: Skyward Sword e The Elder Scrolls V: Skyrim. No ano seguinte, Arkham City recebeu sua versão “Game of the Year” contendo todo seu conteúdo extra via DLC e em 2016, Arkham City foi relançado com visuais remasterizados na coletânea “Batman: Return to Arkham” para o PlayStation 4 e Xbox One. Batman: Arkham City é unanimante considerado o jogo eletrônico do cavaleiro das trevas, um título que entrou para história dos videogames desde o seu lançamento, e que ainda irá continuar a agradar os fãs de futuras gerações.

 

Leave a Reply

%d bloggers like this: