LeiaMax | Como Desaparecer Completamente e Nunca Ser Encontrado

LeiaMax | Como Desaparecer Completamente e Nunca Ser Encontrado

5 de May de 2019 0 By Mariana N.
Rate this post

Para um leitor ávido, as histórias que marcam o início de seu encantamento pela leitura têm um grande significado. São as primeiras portas abertas que encaminham para um universo ilimitado, em que se pode viver muitas histórias e saborear narrativas diferentes numa mesma vida. A literatura talvez represente uma das formas mais pessoais e de forte conexão dentre as outras expressões artísticas, visto que o leitor, com o livro nas mãos, cria um ambiente individual dentro de sua própria mente, onde paisagens, perfis e universos são traçados e desenhados de acordo com sua imaginação.

A experiência é indubitavelmente específica quando o gosto pela leitura se dá ainda na infância. A capacidade imaginativa e o instinto inocentemente aguçado de uma criança dá margem para longos caminhos lúdicos e os pensamentos instigados pela história podem acompanhar o indivíduo pelo resto da vida.

A introdução acima descrita se coaduna muito com minha experiência ao ler, aos 11 anos de idade, o livro Como Desaparecer Completamente e Nunca Ser Encontrado, da escritora Sara Nickerson. A obra me fora apresentada por minha professora de português à época, e o modo com o qual passei a encarar a literatura após ler a história me acompanha até os dias de hoje.

Resultado de imagem para sara nickerson como desaparecer completamente e nunca ser: encontrado

O livro, que já possui um título melancólico e convidativo, conta a história de Margaret, uma jovem que percebe traços de estranheza em seus familiares desde muito cedo e, por isso, tem o espírito investigativo aguçado. O cenário piora quando seu pai falece e a mãe, Lizzie, se torna resoluta ao não oferecer mais informações acerca de eventos estranhos que passam a ocorrer. Lizzie leva Margaret e sua irmã mais nova, Sophie, para uma estranha e macabra casa abandonada. Ao chegar lá, coloca misteriosamente uma placa com os dizeres “à venda pelo proprietário” no jardim.

Sem informações acerca do que ocorreu com o pai e perturbada com o cenário silencioso construído pela mãe, Margaret passa a crer que a morte de seu pai está conectada com a casa, que exala, pela simples silhueta, quantos mistérios e segredos está guardando. Margaret, então, começa uma investigação tendo como companhia o vizinho da mansão, chamado Boyd.

Como Desaparecer Completamente e Nunca Ser Encontrado é um livro protagonizado por uma criança e que, apesar de poder ser lido pelo público infantil, guarda em suas páginas significados multifacetados que atingem pessoas diferentes de maneiras distintas. É um livro que fala com uma beleza melancólica, inesquecível e impactante sobre a solidão, o vazio e as inúmeras formas de isolamento que acometem os indivíduos.

É surpreendentemente implacável, ainda, ao realizar o feito de abordar com uma simplicidade assustadora não apenas a solidão que assola pessoas que compõem uma mesma família ou dividem o mesmo espaço, mas a solidão advinda da miséria, do preconceito, da segregação social e do que a sociedade encara como lindo ou categoriza como terrível. Como um ser humano segregado, incompreendido, levado a acreditar na própria miséria, pode, de fato, se tornar aquilo que as barreiras sociais que condenaram tão tristemente a ser.

O livro é capaz de misturar ficção, fantasia, ação, investigação, drama e a inocência da infância num mesmo enredo. É o tipo de história que deixa marcas, traz lições e lhe impele para uma reflexão inevitável.

A obra escrita por Sara Nickerson é um dos principais marcos de minha vida como leitora e o impacto de sua história me acompanha mesmo após mais de dez anos, quando, ainda criança, peguei o livro pela primeira vez sem saber que meu destino como amante da literatura seria irreversivelmente modificado.