Análise| Halloween-2018

5 (100%) 1 vote

Após ter sobrevivido ao impiedoso irmão Michael Myers, Laurie Strode e sua família tentam seguir com suas vidas, ou pelo menos a família dela segue. Laurie vem se preparando ao longo dos anos, pois quando seu irmão retornar para Haddonfield ela estará esperando, pois o bicho papão vem ai.

Antes de classificar o longa, seria bem legal se você pudesse assistir a origem de tudo, Halloween-A Noite do Terror de 1978, até pra entender a história do filme e assimilar bem seu conteúdo. É importante também frisar que o novo longa de 2018 é uma continuação direta do filme de 78. “Mas isso nós sabemos, o trailer deixa isso muito claro”. Calma que o tio explica esse significado em questão de continuação direta. A nova obra de John Carpenter com direção de David Gordon Green parece mesmo estar conectada com seu passado, principalmente se você lembrar que os atores principais estão reprisando o seu papel de 40 anos atrás, Jamie Lee Curtis Como a Laurie e Nick Castle como Michael. O filme é quase um retrato fiel do primeiro longa, ambos são muito parecidos, a forma como tudo funciona lentamente e as cenas de assassinato não tão recorrentes como em outros filmes da franquia deixam essa impressão. O melhor resumo que poderia te dar para me fazer ser entendido por você é que o novo longa é simplesmente o mesmo filme que teve uma pausa de 40 anos e não uma continuação como os outros longas que o mesmo ignora. São nítidas também as homenagens prestadas em cenas especificas do filme. Um momento do qual eu posso compartilhar com vocês é quando o jornalista Aaron Korey interpretado por Jefferson Hall está abastecendo o carro no posto de gasolina e Michael passa andando ao fundo. Para quem é fã (ou seja, eu) isso é uma clara menção honrosa ao primeiro filme, onde em uma das cenas de Halloween 78, o Dr. Samuel Loomis vivido por Donald Pleasence está distraído e Michael Myers passa ao fundo dirigindo um carro. Até a abertura do filme é uma clara alusão a abertura do clássico de 1978. É quase que como ver um espelho, uma obra antiga reformulado.

O que você deve estar se perguntando é: o filme realmente é bom? O tio responde: acho que isso vai muito do ponto de vista de quem vê. O filme talvez não tenha a velocidade desejada de determinados acontecimentos, pois como disse antes, é literalmente uma continuação direta do original e é importante entender isso. Uma vez assimilada essa ideia, é compreensível a forma como os eventos ocorrem em Halloween-2018. Alguns diálogos ficaram bem artificiais, mas para a felicidade de todos, a conexão desses diálogos com o enredo principal era mínima. A história é muito bem construída e o enredo é muito bom. Os efeitos de eventos ocorridos no passado tornaram Laurie uma mulher forte por fora e destruída por dentro, uma pessoa totalmente abalada psicologicamente que perdeu o que de melhor pode haver entre uma mãe e uma filha, mas em prol de um bem maior…estar preparada e principalmente, preparar sua família para o confronto com o mal em pessoa. Lee Curtis da um show de interpretação, algo esperado a muito desde que o filme foi anunciado. Segundo consta em alguns sites o afilhado de Lee, o ator  Jake Gyllenhaal foi o responsável por convencer a atriz a reprisar o papel na continuação.

E o Michael? Michael Myers está mais cruel, frio e brutal do que nunca! Faltam adjetivos pra descrever o quanto Myers é impiedoso e se você já viu o filme e lembra da primeira morte que presenciamos, sabe exatamente do que estou falando, momento esse que chega a ser impactante porque em nenhum dos filmes anteriores isso acontece. Talvez seja uma forma de dizer que agora não existem regras e qualquer um pode morrer. Em dado momento pensei que ia rolar um déjá vu do que presenciei em Halloween de 2002, que por motivos de força maior, não posso revelar. A pesar da atuação incrível de Jamie Lee Curtis e do quão convincente ela possa ser, é preciso reconhecer que o personagem central aqui é o Michael Myers e que você só vai/foi ao cinema para ver o assassino mascarado. Foi-se a época em que torcíamos para o mocinho em determinados filmes de terror e Michael é um desses personagens dos quais queremos ver mais e mais. Baseado no que se pode ouvir após os créditos do filme, nós da MaxConPe torcemos para que não precisemos esperar mais 40 anos para ver um filme tão incrível assim. E se você quer saber do que estou falando, corre no cinema mais próximo para ver Halloween, mas não esquece de nos dizer o que achou do filme e quais cenas você notou se tratar de claras homenagens a franquia do melhor psicopata dos cinemas.

 

 

Leave a Reply

%d bloggers like this: