Morro dos Ventos Uivantes l A teoria de Heathcliff: seria ele o demônio?

5 (100%) 4 votes

Um dos personagens mais misteriosos da Literatura abriu espaço para várias teorias. Quem leu Morro dos Ventos Uivantes, por Emily Bronte, sabe da complexidade do personagem na narrativa e da mistura de amor e ódio que sentimos por ele, Heathcliff. O amor vem transmutado de pena por ver um menino diferente de todos os outros ser escravizado na mansão do morro, já o ódio vem da sua vingança, contra Cathy e diante de todos que o fizeram sofrer antes de fugir do Morro dos Ventos Uivantes, quando seus atos acabam indo longe demais. No limiar de tudo isso, restam perguntas que jamais foram respondidas e só nos resta teorizar sobre esse incrível personagem, que ainda é um dos meus favoritos da literatura. Com poucos detalhes sobre sua infância, tudo que podemos suspeitar é que foi bastante sofrida, antes de ser encontrado por Mr. Earnshaw em Londres. Das muitas descrições do personagem, essa é uma das que revelam suas características mais sombrias, feita pelo próprio Earnshaw:

“Ele tinha uma escuridão que parecia emanar do próprio demônio” (IV)

Apesar do seu ódio contra aqueles que o maltrataram, muitos consideram a sua cruzada vingativa digna no início, afinal, parece justo simpatizar com alguém que de escravo vira o proprietário da mansão e passa da figura do oprimido para o opressor no final do romance. Até isso tudo acontecer, é importante relatar como tudo começou e como a vingança de Heathcliff atingiu muito mais pessoas que pareciam merecer tal mal. Assim, é no início da narrativa, com a morte prematura de Mr. Earnshaw, o único que o tratava como um humano na sua adolescência, que Heathcliff fica exposto aos seus novos senhores e passa a sofrer nas mãos da sua nova família de forma brutal, exceto por Cathy. Ela sempre será o grande amor da vida de Heathcliff, mas por sua forma rústica e diferente, Cathy acaba se envolvendo em uma confusão amorosa que a coloca em uma esfera diferente da vida que almejava com o jovem rapaz. O idealismo de viver uma vida selvagem com Heathcliff e livre; se transformou em uma Lady Cathy buscando se misturar com a alta sociedade A paixão virou desentendimento e logo Heathcliff fugiu do Morro dos Ventos Uivantes para a tentar a sorte no mundo levando todas suas frustrações na bagagem. Após três anos é que tudo fica ainda mais estranho.

Tom Hardy interpretou Heathcliff na melhor versão do Morro dos Ventos Uivantes em 2009. Assistam!

O segundo fato a ser reconhecido(além de sua origem) é que não há explicação de como Heathcliff volta com bastante dinheiro de sua viagem após três anos de ausência. Ele atribui que venceu em casa de apostas, mas nunca entra em detalhes e evita responder questões de como o jovem rústico voltou como um rapaz garboso e eloquente. Aos poucos foi desenhando sua retaliação diante da família Linton, quando Cathy já estava envolvida em um romance com Edgar Linton (parte da família que cuidou dela após fraturar o pé). Muitos acontecimentos levaram a vários personagem a se referirem a Heathcliff como o verdadeiro demônio, uma delas, é sua sofrida esposa, Isabella Linton (irmã de Edgar), que disse em uma carta:

“Seria Mr. Heathcliff um homem? Se sim, seria um louco? Se não, seria ele o demônio?”

O taciturno Heathcliff protagoniza cenas de violência doméstica contra a pobre Isabella, que apesar de amá-lo, se encontrava em um invólucro maligno planejado por Heathcliff para se vingar de todos que o fizeram sofrer, isso incluía a família Linton. Isabella não é a única a se referir ao misterioso homem como uma criatura sobrenatural, já que muitos são os personagens que bradavam aos quatro ventos de que ele era, de fato, um homem que no seu olhar trazia consigo a maldade do próprio diabo. Seria essa maldade sobrenatural ou apenas resultado de anos de sofrimento que corrompeu bondade de outrora? Pois, apesar de tudo, bons gestos foram vistos por essa pessoa, ou criatura, conhecida por Heathcliff.

Sem oferecer mais spoilers que o necessário, cabe a você, leitor, trazer suas concepções sobre esse personagem considerado um dos maiores vilões da literatura. Morro dos Ventos Uivantes é a obra máxima de Emily Bronte e um dos maiores romances clássicos já escritos que continua relevante mesmo após quase dois séculos e ainda traz temas perenes para a sociedade de hoje. Fica essa recomendação mais do que obrigatória.

Para mais sobre Literatura e teorias grotescas, fique ligado no MaxconPE.

Leave a Reply

%d bloggers like this: