Análise | Emoji – O Filme

Análise | Emoji – O Filme

13 de September de 2017 2 By Vandeson N.
5 (100%) 7 votes

O título de filme mais apelativo do ano pode ficar com Emoji – o filme, animação dirigida por  Tony Leondis e estrelada por emoticons, as carinhas expressivas que usamos nas redes sociais e aplicativos diariamente. Hollywood sabe que animações normalmente são garantias de retorno financeiro, principalmente com o apoio da tecnologia 3D, e frequentemente entrega bons materiais, com histórias e personagens que cativam adultos e crianças.

Confiando que o público lotaria as salas de cinemas e seus cofres apenas para ver personagens fofinhos ao som de uma trilha sonora pop, a Sony perdeu uma boa oportunidade de mostrar uma premissa original. Acompanhamos Gene (voz de T.J. Miller), um emoticon morador de Textópolis, que, diferente de todos os outros, consegue expressar várias emoções. Considerado um bug e ameaçado de ser deletado, Gene parte em uma jornada pelos aplicativos do celular do adolescente Alex, juntamente com o carismático Bate Aqui (o único personagem “memorável” do longa, dublado por James Corden)e a hacker Rebelde (voz de Anna Faris), aprendendo sobre amizade, amor e diferenças.

Porém, essa trama (que remete ao divertido e superior Detona Ralph) tem um tratamento raso. Talvez se focasse um pouco mais nas dificuldades de comunicação social que os adolescentes do filme (e da vida real) possuem, Emoji – o filme poderia ser mais do que incontáveis piadas com trocadilhos.

Mesmo com uma animação bem cuidada, boa dublagem e longe de ser um fracasso comercial (orçado em 50 milhões,já arrecadou o triplo), Emoji – o filme é uma chance perdida de divertir, evidenciando a ambição e falta de originalidade que permeia o cinema americano.

Nota: