Análise | Hq Umbrella Academy (“Suíte do Apocalipse” e “Dallas”)

Rate this post

 

Lançados originalmente pela editora americana Dark horse, o quadrinho de autoria do Gerard Way (sim, o vocalista da banda My chemical romance), com desenhos do Brasileiro Gabriel Bá, teve até então dois volumes, cada um com histórias fechadas.

Suíte do Apocalipse: Casos de crianças geradas (43 pra ser mais exato) misteriosamente por mulheres que antes não tinham apresentado quaisquer sinais de gravidez surgem de maneira inexplicável, algumas dessas crianças apresentam poderes sobrenaturais. Sete delas são adotadas por Sir Reginald Hargreeves, criando uma família diferente, especializada em resolver casos além da compreensão humana.

Anos depois, com divergências e laços rompidos eles crescem separados, porém uma tragédia na família os reúne novamente, unido à uma ameaça maior.Essa é a uma sinopse breve sobre o volume um, a origem desse grupo complexo e cheio de questões mal resolvidas, como o que acontece em algumas famílias.

Em “Dallas”, com a separação gradativa da “família Umbrella”, cada um envolve-se com seus próprios problemas pessoais na falta de uma figura paterna e unificadora, mas algo grande e catastrófico envolvendo mudança no temporal e histórica está prestes a acontecer e pode ser um caminho sem volta.

Os dois volumes são instigantes e cada um dos sete tem seu momento de desenvolvimento na história. A editora Dark Horse é conhecida por ter histórias mais densas e pesadas, The Umbrella Academy não decepciona nesse sentido. Vale a pena a aventura e os desenhos do “Bá” são sensacionais.

The Umbrella academy: Suíte do Apocalipse e Dallas foram lançadas no Brasil pela Devir, na internet é possível encontrar os volumes na faixa dos R$ 38, R$ 40 reais aproximadamente.

Novidades:

Em entrevista com o autor durante a CCXP 2016, foi revelada continuação de pelo menos mais dois volumes. Recentemente foi anunciada uma série adaptada dos quadrinhos pela Netflix.

Leave a Reply

%d bloggers like this: