Análise | Game of Thrones – S08E01 (sem spoilers)

Análise | Game of Thrones – S08E01 (sem spoilers)

15 de April de 2019 0 By Eurico S.
Rate this post

8 temporadas, tantos acontecimentos, reviravoltas. Game of Thrones está finalmente de volta para sua última temporada, e podemos dizer, após seu primeiro episódio, que estamos nos encaminhando para um final épico, mas que pode resgatar toda a política e discórdia da série, praticamente abandonada na sétima temporada.

Vários encontros e reencontros marcaram o primeiro episódio, um exemplo de boa montagem e um excelente ponto positivo para a produção, que nos fez rememorar, em sequência, desde a primeira à mais recente temporada, sendo o final uma volta da memória a um dos principais momentos lembrados por qualquer fã de GoT (e que pra mim foi o momento que eu decidi investir na série).

Vários (re)encontros marcaram o primeiro episódio, levando-nos a uma viagem pela história de GoT

A política também parece ter voltado para Game of Thrones. Após ter reduzido seu núcleo e passado por rasos momentos da política que sempre marcara a série na apressada sétima temporada, o bom andamento parece ter voltado à GoT. Desde a abertura, tivemos a criação de um clima que prepara a guerra entre mortos e vivos, mas ainda com uma sombra na guerra dos vivos x vivos (Norte contra Sul, Starks, Greyjoys, Baratheon e Targaryen contra a Lannister e o Greyjoy Euron), além da sempre boa interação entre Tyrion (Peter Dinklage) e Varys (Conleth Hill), traçando um provável futuro de mais intrigas e conflito políticos para o final da série.

Ainda tivemos espaço para fan service, algo que todos esperávamos para o agora protagonista Jon Snow (Kit Harrington), com a série explorando sutilmente sua verdadeira natureza.

Um fan service bem-vindo e necessário…

GoT realmente voltou com tudo, não à toa entulhando fãs ao redor do mundo para assistir sua estreia mundial e derrubando a conexão da HBO para o Brasil no aplicativo HBO GO várias vezes. Um bom começo para um final apoteótico, que rememorou senão todas, várias das temporadas e reviravoltas pelas quais a série passou ao longo de quase 8 anos (o ano era 2011, lembra?), num exemplo de pura arte sequência e mostra de roteiro bem escrito (sem o velho “anteriormente”, o que demonstrou a força dos personagens e sua evolução ao longo da série).

Depois de um final que nos remeteu direto à primeira temporada, mal podemos esperar para andarmos novamente nas asas de GoT no segundo episódio, esperando que toda a temporada mantenha a mesma qualidade dessa estreia arrasadora.

Nota: