Análise | Assassinato no Expresso do Oriente

5 (100%) 6 votes

A “A Dama do Crime”: assim é conhecida a escritora Agatha Christie, responsável por vários clássicos literários como “A Morte do Nilo”, “Um Corpo na Biblioteca” e também pelo “Assassinato no Expresso do Oriente“, que chega aos cinemas na direção (e atuação) de Kenneth Branagh.

Antes de começar a análise vou deixar você bem tranquilo, pois no texto abaixo não tem spoiler pra estragar a sua experiência cinematográfica.

Adaptar uma das obras mais renomadas e conhecidas da escritora seria um desafio para qualquer diretor, mas para Kenneth foi diferente, já que o multifacetado artista se declara fã dos livros de Agatha Christie, o que ficou claro ao ver o cuidado que ele teve com os detalhes do filme, desde as falas até o figurino e claro as lindas tomadas externas do trem.

No começo fiquei bastante preocupado com a apresentação de Hercule Poirot, pois nas cenas iniciais vemos um detetive muito brincalhão e traz de imediato a lembrança do atrapalhado detetive Jacques Closeau do filme Pantera Cor-de-Rosa. Sei que seria impossível apresentar ao público de forma mais detalhada quem é de fato o detetive em tão pouco tempo, mas não podemos deixar passar em branco a cena inicial em Jerusalém, onde um caso é resolvido em apenas alguns minutos.

Elenco do Filme é Sensacional!

Outro fator que me incomodou foi a apresentação de alguns personagens. Por exemplo, no livro temos o personagem monsieur Bouc, um amigo de muito tempo do detetive e o diretor de toda as linhas dos trens. No filme ele é substituído pelo sobrinho do supracitado diretor, que mesmo assim tem grandes laços de amizade com Poirot. Não que isso vá atrapalhar o desenvolvimento do filme, mas pode ser que num futuro próximo isso acabe prejudicando as próximas adaptações.

Mesmo com um elenco de peso como Judi Dench, Michelle Pfeiffer, Johnny Depp, Penelope Cruz, Daisy Ridley, entre outros, o filme não perde o foco em Hercule Poirot (Kenneth Branagh) e sabe medir bem o timing entre os personagens e as conversas pontuais com o detetive.

Não vá ao cinema achando que vai ver um filme frenético ou um suspense. O que vemos é uma obra literária muito bem apresentada e que prende atenção do público do começo ao fim. Fica a dica pra quem não tem o bom costume da leitura de acompanhar mais as obras da escritora Agatha Christie e as descobertas incríveis de Poirot, pois segundo a Fox (distribuída do longa) o plano é lançar muito em breve “A Morte no Nilo” para as telonas.

Mesmo com a invasão de tantos heróis nas telonas e centenas de blockbusters, o “Assassinato no Expresso do Oriente” se torna um dos filmes mais interessantes desse ano, e fico na torcida para que ele seja um sucesso nas bilheterias e que vejamos mais de Poirot nos cinemas.

Nota:

Leave a Reply

%d bloggers like this: