Metal Slug | Nostalgia em um dos maiores clássicos Run and Gun de todos os tempos

5 (100%) 6 votes

Em 1996 surgia para o clássico Neo Geo a série que conquistou uma base de fãs que até hoje passa horas jogando os mais de trinta títulos que existem na saga Metal Slug (sete da série principal). Essa série nasceu de casa própria, já que o Neo Geo pertencia à SNK, desenvolvedora do jogo, e apesar de nem todos terem conhecido a série nesse raro console, dentro dos antigos Arcades era possível encontrar filas de pessoas esperando para atirar e morrer muito nesse shooter.

O gênero desse jogo ficou conhecido como run and gun (corra e atire), com elementos dos jogos de plataforma em um sistema de fases que apresentava chefões nos mais diversos cenários em uma sociedade distópica, com governos totalitários e um grupo de rebeldes comandado pelo jogador. Vamos, brevemente, lembrar essa verdadeira paródia militar do mundo dos games que marcou a juventude de uma geração que não se desapega desse jogo, sendo um dos games retrô mais jogados até hoje. Caminhe, destrua tudo que se mova, resgate os prisioneiros (que já vi gente chamando de mendigos) e atire com veículos poderosos em inimigos que vêm de todos os lados ao som de uma trilha sonora incrível. E é esse conceito simples, mas muito bem executado, que torna Metal Slug uma das maiores séries run and gun de todos os tempos.

Para entender a origem de Metal Slug, é necessário ir ao início da carreira da mente do criador da série, que para muitos é um desconhecido na indústria. Apesar de pertencer ao mesmo gênero e ter semelhança com o saudoso Contra, não foi exatamente dessa franquia que nasceu Metal Slug. O criador de Metal Slug, Kazumo Kujo, disse que foi trabalhando na série R-Type que começou a dar os primeiros passos na criação desse jogo. Em seguida, Kazumo criou o game In The Hunt, lançado em 1993. Nesse jogo, a câmera já não se movia automaticamente, como em R-Type, mas era movida de acordo com o progresso do jogador. Foi do game In The Hunt, da empresa Irem, que saiu a evolução necessária para criar Metal Slug. Os gráficos, jogabilidade e história lembram demais o aclamado Metal Slug. Aos amantes de Metal Slug, o nome dos jogos aqui citados ainda são ótimas recomendações para detonar em emuladores ou consoles compatíveis. Kazumo Kujo só trabalhou no primeiro jogo da série, mas felizmente, todo o resto da equipe continuou trabalhando nas sequências e segurou a qualidade.

A empresa japonesa SNK era conhecida por desenvolver jogos de visual incrível para a época, tanto que muitos deles envelheceram bem. Séries como King of Fighters, Fatal Fury, Samurai Shodown e Metal Slug são jogos queridos até hoje, e muito se deve ao seu visual que passou no teste do tempo. Poucos jogos conseguem isso, e os que conseguem geralmente são os que continuam sendo jogados. É claro que, acima de tudo isso, temos um jogo extremamente divertido com um multiplayer que deixa tudo mais interessante. Ao longo desse enorme catálogo, a série principal não sofreu mudança de visual radical, nem mesmo na sua mecânica, pois foi uma série que apostava na mesma fórmula. Apenas pequenas melhorias eram feitas juntamente à adição de conteúdo no gameplay. As exceções ficam para o terrível Metal Slug 3d para Playstation 2 e alguns jogos mobile que apelaram para o gênero de estratégia e perderam muito em qualidade. Esses games são considerados spin-offs e não serão considerados aqui.

Muitos jogadores ainda têm as falas do jogo na mente, como: “Heavy Machine Gun”, “Rocket Launcher”, “Shotgun!”  A voz sempre surgia após pegar um upgrade para arma e ainda é um dos sons mais icônicos dos games. Os personagens também marcaram, sendo dois deles os mais importantes da série, pois apareceram em todos os jogos da saga, são eles: O major Marco Rossi e o capitão Tama Roving. Outra curiosidade, Metal Slug é o codinome dado ao tanque (Super Vehicle 001) usado logo no primeiro game da série, e era esse tanque a principal arma para vencer a guerra contra o ditador Allen O’Neil no primeiro jogo e em vários outros games da série. Na verdade, o jogo era para ser todo dentro desse veículo, ou seja, Marco e Tama nem deveriam aparecer segundo a ideia inicial.

A SÉRIE AINDA VIVE?

Sim, e não é somente em emuladores que é possível encontrar Metal Slug. A SNK relançou muito dos seus jogos para consoles da atual geração (PS4 e Xbox One). O caso mais recente foi no Nintendo Switch. O híbrido da Nintendo tem feito sucesso e recebeu vários jogos de Neo Geo, entre eles, Metal Slug, e é sempre bom ter um console para jogar Metal Slug em qualquer lugar.

 

UMA SEQUÊNCIA É POSSÍVEL?

Difícil, infelizmente a SNK não mostra nenhum interesse em trazer a série de volta. Os jogos indie têm invadido o mercado e oferecido experiência de jogos do mesmo gênero com muita competência a baixo custo. Seria arriscado para a SNK injetar um bom orçamento para fazer uma continuação da série. Hoje em dia até existe pela Internet uma espécie de Metal Slug Creator e alguns títulos mobile surgiram nos últimos anos, mas nada mais. A boa notícia é que a SNK ainda desenvolve jogos e trouxe de volta até King of Fighters. Ao menos não é uma série que podemos considerar como algo impossível. Quem sabe não vemos um Metal Slug 8? Enquanto isso vale a pena continuar jogando essa obra prima por muitas décadas ainda.

One thought on “Metal Slug | Nostalgia em um dos maiores clássicos Run and Gun de todos os tempos

Leave a Reply

%d bloggers like this: