Análise | Guardiões da galáxia vol. 2

5 (100%) 1 vote

Déjà vu. O conceito de déjà vu é uma ilusão de memória que leva a crer que você já viu aquilo antes, como o segundo filme de James Gunn na Marvel Studios.

Mas primeiro vamos com calma, Gunn escreveu um roteiro muito bem amarrado e interagindo muito bom com a trilha sonora nova, assim como o primeiro traz sucessos dos anos 70 e 80 que são apreciados até hoje de grandes artistas do meio musical, como George Harrison que é lembrado no filme com sua música My Sweet Lord de 1970.

Com uma extensa lista de piadas e situações engraçadas, Gunn sabe fazer seu público rir, assim como no primeiro ele sabe trabalhar a interação dos personagens que com certeza não iriam interagir normalmente, como Gamora e (Baby)Groot, Peter Quill e Rocket Raccoon, Mantis e Drax, e outros. Apesar de algumas piadas parecerem forçadas e fora de lugar, não influencia na narrativa.

Exitem adaptações necessárias no filme, uma que claramente chama a atenção é Ego, que nos quadrinhos é um planeta com consciência, mas não deixando de ser um planeta. Gun pega esse personagem e o faz ter a habilidade de se fazer em corpo presente numa forma humana e ainda ser o pai de Peter Quill, tento um tom mais sério que os demais, Ego traz uma história mal contada por trás de sua chegada mas não vou contar spoilers grandes desse filme e…sim, ele é um Celestial.

Nessa continuação, personagens como Drax e Yondu tem mais destaque na trama com mais piadas e cenas próprias, além de Mantis que entrou nesse segundo filme e já ganhou o público com a sua personalidade e carisma. Os efeitos do filme estão fantásticos, como no primeiro filme dos guardiões e em todos os filmes da Marvel Studios.

Por último, as referências, o filme está lotado de referências a cultura pop, assim como o primeiro filme ele destaca as referências dos anos 80 como ninguém, como também a aparição de dois ícones dessa época, Sylvester Stallone e David Hasselhoff.

O filme vale a pena ser assistido, como foi dito é um filme bom, só que é mais do mesmo, é uma reaproveitação do primeiro, esse filme seria excelente mas não é justamente pela existência do primeiro filme.

Nota:

Leave a Reply

%d bloggers like this: