Mega Man: O Robô mais nostálgico dos games

5 (100%) 4 votes

Mesmo quem não nasceu na era 8-bits do Nintendinho e Master System reconhece o robô azul mais popular no mundo dos games. Mega Man (Rockman no Japão) é um dos personagens mais icônicos da cultura gamer, estando em mais de cem jogos (contando a série principal) e vendido mais de 30 milhões de unidades ao longo de três décadas de existência. Tentar ser breve sobre esse personagem é um desafio, mas vamos lá.

Em dezembro de 1987, um pequeno grupo de uma futura gigante empresa chamada Capcom dava seus primeiros passos para a criação de um jogo para o NES (aqui conhecido como Nintendinho). O desenhista  e ilustrador responsável pela criação desse personagem e tantos outros desse universo foi  o jovem de 22 anos: Keiji Inafune. Por conta da limitação técnica do console da Nintendo, Inafune decidiu que a cor do personagem seria azul, pois a paleta de cores no console era de apenas 56 cores. A cor azul foi escolhida para diferenciar o personagem de todos os outros na época e pela limitação do hardware.  Seu principal objetivo era criar um game com animações e movimentos mais realistas para se destacar diante de jogos como Mario e The Legend of Zelda e tantos outros de grande qualidade.  Com a decisão de renovar o gênero side-scrolling (com o personagem progredindo para os lados), nasce uma série que ainda mora no coração de muitos gamers.

 

O conceito de Mega Man contém um sistema de pedra, papel e tesoura, ou seja, há sempre um tiro elemental ou poder que é mais poderoso contra uns e mais fraco contra outros inimigos e chefões. Aliás, as batalhas contra chefes sempre foram um dos destaques da franquia, com um nível de dificuldade que incomoda até os jogadores veteranos, principalmente nos primeiros títulos da série.  A música e o efeitos sonoros do game também marcaram, sendo uma parte importante de Mega Man.

O primeiro título da série não fez muito sucesso no ocidente, e muito se deve a boxart do jogo que é considerada uma das mais feias da história, como é possível ver na imagem.  Um homem segurando uma arma com quase nenhuma semelhança com o Mega Man original ultrapassou o nível de tosquice na capa de um game.  O pior de tudo isso é que eles seguiram a ideia da primeira boxart e repetiram no segundo Mega Man. Somente no Mega Man 3 é possível ver o personagem como ele realmente é. A Capcom nunca falou sobre a escolha dessas capas, o que é compreensível, já que é uma das coisas mais feias criadas na indústria dos games.  

Apesar de tudo isso, o primeiro Mega Man foi criticamente bem recebido e vendeu acima do esperado, mas ainda estava longe da ambição da Capcom.  Já o segundo título da franquia, lançado em 1988, atingiu o marco de ser a série mais lucrativa da Capcom, superando expectativas. O Mega Man clássico e principal título da franquia têm dez capítulos. A história do jogo fala sobre a rivalidade entre o Dr. Light (o cientista que desenvolveu Mega Man) e Dr. Willy (vilão do jogo).  Há também a presença dos aliados Roll, o cachorro Rush e outros. A lista de personagens e antagonista é enorme e impossível de mencionar todos aqui.

Apesar do sucesso, na era do Super Nintendo a Capcom e Inafune sabia que o jogo precisava de uma mudança no visual para se adaptar as novas tecnologias. Assim, nasceu a série Mega Man X, que foi quando conheci o jogo e não parei mais. Mega Man X teve o total de dez títulos, sem contar o remake  chamado Maverick Hunter X, e é considerado por alguns como a melhor série do robô azul. Com um visual mais realista, desafio e colecionáveis de sobra. O jogo transbordava de conteúdo de qualidade e marcou uma evolução necessária para manter o sucesso da franquia até onde dava. 

Vale a menção honrosa ao primeiro Mega Man 3d: Mega Man Legends, que agradou alguns fãs e atraiu novos jogadores. Mega Man Soccer foi viciante no Super Nintendo e Battle Network foi um excelente jogo de estratégia no Nintendo DS. Além disso, Mega Man fez participações em muitos jogos, como SNK VS Capcom, Marvel VS Capcom e Super Smash Bros. Um feito interessante e que poucos sabem é que Mega Man é o personagem que mais apareceu em jogos na história dos videogames. Exato, superando até mesmo o próprio Mario. Como já dito, são mais de cem jogos que o robô surge como convidado ou protagonista. Nomear cada Mega Man é uma tarefa difícil e somente os fãs mais hardcores são capazes de lembrar de todos. O fato é que o personagem ainda é mega relevante no mundo dos games e sempre será lembrado por jogadores.

 

A SÉRIE AINDA VIVE?

É possível jogar Mega Man em várias plataformas graças ao lançamento de várias compilações e em diversas gerações de console e PC.  A série ainda vende nesse formato e uma nova compilação com todos os títulos da série Mega Man X foi anunciado em 04 de dezembro de 2017 para Xbox One, PS4, Nintendo Switch e PC. O lançamento dessa coletânea está previsto para o verão americano de 2018. Apesar do sucesso de vários títulos, a concorrência no gênero,  jogos indies de qualidade, a saída de Inafune da Capcom em 2010 e a prioridade da Capcom com outras séries fez com que a série principal ficasse enterrada por muito tempo.

 

UMA SEQUÊNCIA É POSSÍVEL?

SIM, e o hype é real! Em 04 de dezembro de 2017 foi anunciado Mega Man 11, após longo hiato da série principal. Com lançamento previsto para o final  de 2018, o hype está lançado para o retorno do nosso robô favorito. Finalmente a série vai sair do limbo e acabar com a saudade de muitos jogadores que sonhavam com o retorno em gráficos belíssimos e completamente renovado. Longa vida ao legado de Mega Man e que venha Mega Man 11!  

Leave a Reply

%d bloggers like this: