Análise | Pedro Coelho

5 (100%) 1 vote

O ano de 2018 mal começou e já temos duas ótimas produções voltadas para o público infantil envolvendo animais falantes interagindo com pessoas. Recentemente, As Aventuras de Paddington 2 foi bem aceito por público e crítica, chegando a entrar em várias premiações, e agora temos a chance de nos divertirmos com o fofo e carismático Pedro Coelho. Trata-se de uma adaptação do livro da britânica Beatrix Potter, As Aventuras de Pedro Coelho, lançado em 1902, que traz várias histórias envolvendo o personagem título e sua família em várias confusões para conseguir roubar verduras e legumes da horta do Sr. Severino.

E é a partir dessa premissa que Pedro Coelho tem seu início. Com a diferença que a trama se passa nos dias atuais e não no começo do século passado, somos apresentados a rotina de Pedro, suas irmãs Flocos, Flux, Rabo de Algodão, e seu primo desastrado, Benjamin, que se resume em serem mimados pela doce Bea (a sempre ótima Rose Byrne, de Vizinhos) e em atazanar o vizinho, o Sr. Severino (o veterano Sam Neil, visto recentemente em O Passageiro, numa rápida aparição aqui). Acontece que em uma de suas estripulias, Pedro acaba levando o velhote ranzinza ao infarte (na verdade a culpa era do próprio homem, que comia como um boi) e com a horta livre pra consumo, a bicharada decide reivindicar a área. O que serelepe coelhinho não contava é que a casa (e horta) seria herdada pelo amalucado e compulsivo sobrinho do seu antigo rival, Thomas (Domhnall Gleeson), que pretende vendê-la para construir uma loja de brinquedos, nem que para isso precise exterminar qualquer animal que se aproxime. A situação piora quando surge um clima de romance entre Thomas e Bea, o suficiente para a turma de coelhos declarar um guerra.

Bea (Rose Byrne) e seus “inocentes” coelhinhos.

O roteiro escrito por Rob Lieber e pelo diretor Will Gluck (responsável pelas boas comédias Amizade Colorida e A Mentira) consegue extrair inúmera risadas do espectador em várias gags e confusões em que Pedro Coelho coloca o vilão Thomas. Explosões, lutas, armadilhas e machucados parecem oriundos de um desenho animado e são totalmente aceitáveis devido ao tom levemente infantil e descompromissado que o longa adota. Ter ótimos efeitos digitais é de grande ajuda: ouso dizer que Pedro Coelho possui um dos melhores tratamentos dados a animais digitais tamanho detalhismo em suas feições e interações com personagens humanos. Destaco o fofo e companheiro Benjamim e um Texugo que não consegue agir normalmente ante algum humano. Acrescente uma boa mensagem sobre família e responsabilidade e temos personagens que marcarão uma nova geração.

Muita comida e nenhuma calça!

Falando em Thomas, podemos até tachá-lo como vilão inicialmente, mas vamos nos afeiçoando ao seu jeito bobo e desastrado e torcendo pela sua redenção. Gleeson está propositalmente caricato, mas nem por isso menos engraçado, além de ter boa química com Byrne. O filme ainda tem um homenagem bacana à autora do livro original, não apenas por batizar a personagem de Byrne com o mesmo nome, mas também em colocar Bea como uma artista que ilustra coelhos idênticos aos da obra de Beatrix Potter.

Pedro Coelho é uma grata surpresa e uma boa pedida para as crianças, mas com certeza agradará adultos também. Com personagens carismáticos, excelentes efeitos digitais e uma trilha sonora cantante (fiquei surpreso com o retorno da banda Rouge, que dubla a canção principal), pode ser o Babe: O Porquinho Atrapalhado dessa geração. Falo com tranquilidade.

Nota:

2 thoughts on “Análise | Pedro Coelho

  • 28 de March de 2018 at 22:12
    Permalink

    Filme fofo.
    Eu entendi a referência kkkkkkkkk

    Reply
  • 11 de December de 2018 at 11:45
    Permalink

    Anteriormente não gostava de filmes infantis, mas desde que deu uma oportunidade a Pedro Coelho realmente fiquei surpreendida pelas maravilhosas mensagens que têm este tipo de filmes. Tem todas as emoções nesta produção de animação infantil nos diverte muito e nos faz se identificar com os personagens. Para quem não é deste tipo de produção, esta é uma boa opção para mudar de idéia. Eu simplesmente me encantei e super indico

    Reply

Leave a Reply

%d bloggers like this: