Análise | Vingadores: Era de Ultron

Rate this post

Diferente do tom sombrio que seu trailer possui, Vingadores: Era de Ultron é leve e com muitos momentos de riso, mas nada que faça você se sentir enganado. Após fatos ocorridos em Capitão América: O Soldado Invernal, os nossos heróis encontram-se em Sokovia frente a uma batalha, buscando recuperar o cetro de Loki perdido em eventos ocorridos no primeiro Vingadores. O longa é adaptado de uma das melhores histórias em quadrinhos da Marvel, A Vingança de Ultron. No quadrinho, Ultron destrói um país fictício, Slorênia para atrair os Vingadores. Em Era de Ultron, você acompanha um pouco mais do vilão apresentado nos créditos de O Soldado Invernal, o Barão Strucker assim como os gêmeos Maximoff: Wanda e Pietro que terão participação importantíssima no decorrer do filme.

Nos primeiros minutos de filme já é possível notar que o arsenal do exercito de Strucker é de uma tecnologia que não provem da terra, isso se deve a invasão alienígena ocorrida no primeiro Vingadores e ao cetro, obviamente. Vemos um pouco das habilidades dos irmãos Maximoff , aqui descritos como aprimorados (já que o termo mutante, por hora não pode ser aplicado nos filmes da Marvel….por hora!). Além de novas apresentações entre heróis e vilões, o filme é recheado de referências em boa parte das cenas como, por exemplo quando Ultron usa a armadura danificada da legião de ferro para ter um corpo e se apresentar aos heróis, é uma clara referência a versão original de Ultro dos quadrinho, que sempre tem a boca aberta. A forma como Ultron se apresenta para os gêmeos também é uma referência. Você pode notar que ele não se revela de imediato na igreja, ao invés disso temos o vilão coberto por um manto vermelho. Clara referência a como ele foi apresentado pela primeira vez nos quadrinhos: Manto Rubro.

Também somos apresentados a outro vilão Ulysses Klaue, negociante de armas do mercado negro. Klaue tem uma curta participação, porém muito importante para o desenvolvimento do universo Marvel. Durante o breve momento em que aparece, você descobre (em parte) por que ele é chamado de Garra Sônica nos quadrinhos (claro que aqui a origem de sua transformação é um pouco diferente). É neste longa que ouvimos pela primeira vez falar de Wakanda, lugar de onde provem o vibranium roubado por Klaue. O vilão é o responsável indireto pela construção do herói Visão que a principio, seria somente o corpo perfeito almejado por Ultron mas que no desenrolar da trama, acaba ganhando vida pelas mãos de Thor. É nesse momento também que os vingadores tomam conhecimento das joias do infinito e tem uma vaga ideia de seu poder.

Além do desenvolvimento do vilão Ultron, o filme da espaço para os outros personagens como é o caso do Gavião. Apesar de não possuir poderes especiais, aqui você entende a importância que Clint Barton tem nos vingadores, descobre segredos que ele guarda e encontra algumas referências circenses escondidas em sua casa e no celeiro (nos quadrinhos o Gavião tem sua origem relacionada com o circo). Podemos finalmente conferir um pouco da origem da Viúva Negra, ainda que na forma de lembrança de seu treinamento quando jovem, prestes a se tornar uma espiã na famosa Red Room ( sala vermelha), instalação soviética usada para criar super espiões. O pressagio de Thor sobre o Ragnarok, a famosa dança que Steve não teve com Peg e o quão Hulk pode ser imparável, perigoso e insano. E essas são só algumas de muitas referências que o longa possui. Há também algumas citações e canções de Pinóquio (famoso desenho da Disney) feitas por Ultron e uma citação a Bíblia: “sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mateus 16,18).

O longa possui um roteiro muito bom, o desenvolvimento e aproveitamento de cada personagem também estão perfeitos, os efeitos especiais, o designe do vilão que da nome ao filme, o alivio cômico, a ação, tudo ótimo. Minhas únicas queixas vão para o tom do filme, que parecia ser muito mais sério no trailer baseado em suas cenas e na trilha sonora que o apresenta e, essa mania que a Marvel tem de matar os seus vilões. Ainda que façam isso de forma bem construtiva: a apresentação, desenvolvimento e conclusão dos mesmos, nos fãs queremos é que a “máquina” de quadrinhos cresça mais e mais no cinema, ainda que inúmeros vilões estejam esperando para ser apresentados. Mas acreditem, isso em nada interfere no quão incrível é essa adaptação para o cinema. Com direção e roteiro de Joss Whedon, não deixe de ver ou rever Vingadores: Era de Ultron.

 

Nota: 

 

Leave a Reply

%d bloggers like this: