CCXP 18 | Soldado Invernal

5 (100%) 4 votes

O universo dos heróis é multifacetado o suficiente para dar espaço para a expansão de inúmeros personagens, que criam identificação com histórias de vida e perfis diferentes. Os heróis da Marvel, por exemplo, têm estereótipos muito diferentes: o playboy rico e blasé, que na verdade esconde um grande buraco de profundidade emocional, o temperamento enfurecido e descontrolado, o tormento advindo do respeito rigoroso aos próprios princípios. A beleza do lúdico mundo dos heróis é perceber como há uma faceta para que cada pessoa que lê uma HQ ou contempla uma tela no cinema consiga enxergar um pouco de si por trás da grandiosidade dos poderes.

Entre alguns personagens com egos extravagantes ou roubadas de cena há um herói forte, perdido em seus próprios conflitos e com uma carga de vida maior do que praticamente todos os outros: O Soldado Invernal. A história de Bucky, dono de um dos arcos mais complexos e grandiosos, atraiu olhos e uma legião de fãs mesmo que o protagonismo não lhe seja atribuído em todos os momentos. Mesmo assim, sua vida é peculiar demais para se diluir entre os outros plots dos filmes e páginas.

Nos quadrinhos, James Buchanan Barnes foi criado por Jack Kirby e apareceu pela primeira vez na Captain America Comics #1, em 1941. Nela, a história é um pouco diferente da que fora retratada nas telas: Bucky e Steve se conheceram no cenário de guerra, enquanto ocorriam treinamentos para que posteriormente entrassem em combate. Quando descobrira que Steve era o Capitão América,Bucky jurou guardar o segredo, contanto que se tornasse o parceiro de Steve nos vindouros desafios que o contexto bélico e o escudo lhe trariam. A dupla lutou contra os nazistas e concretizou grandes feitos juntos. Grandes desdobramentos adviriam de tal encontro inicial.

Já no universo cinematográfico, Bucky fora interpretado por Sebastian Stan e apareceu pela primeira vez juntamente com Steve em Capitão América: O Primeiro Vingador (2011). Os primeiros momentos introdutórios do filme nos mostram como Bucky e Steve construíram uma amizade desde a infância, perpetuando um elo fraternal até a fase adulta, mesmo com as diferenças que a vida lhes trouxe. Steve vai para a guerra depois de Bucky, quando o dr. Erskine lhe oferece a oportunidade de participar de um experimento que lhe traria todas as capacidades físicas de concretizar o sonho já maturado em sua consciência e personalidade.

Bucky não é apenas um personagem coadjuvante para incrementar os elementos de vivência do personagem principal. Sua existência e a relação que possui com Steve é, talvez, um dos fatores que mais permite que o telespectador interprete a verdadeira essência do Capitão. Bucky é o elo que Steve tem com a infância, com o ideal de família e com a mansidão de uma vida sem guerra. Em uma de suas primeiras missões como o Capitão América e já com o soro correndo em suas veias, Steve teme que Bucky tenha morrido na mão dos nazistas. No entanto, encontra o amigo nas dependências da Hidra e o liberta, lutando por alguns momentos ao seu lado. O infortúnio sobrevém tempos após o reencontro dos dois e Bucky cai de uma altura imensa num embate que visava capturar Zola, sendo dado como morto.

Os próximos embates e confrontos consequenciais da guerra levam Steve a se lançar em um avião ao Ártico junto a uma das jóias do infinito, e é achado apenas setenta anos depois. Totalmente deslocado, vivendo numa década a qual não pertence e sem nenhuma figura que lhe vincule aos anos anteriores, Steve reencontra Bucky tempos depois. A união inicial dos dois, porém, não é permeada apenas pela alegria de vê-lo com vida.

Bucky tem uma história pesada e complexa. Lutara bravamente na guerra, firme aos seus ideais, mas fora brutalmente torturado pela Hidra, a ponto de perder completamente a sanidade e se desvincular da própria personalidade e de traços do que já fora um dia. Fora transformado no Soldado Invernal, implacável assassino. Agira por anos a fio com uma cega e vazia crueldade, originada por torturas e manipulações mentais, e não fora atingido por nenhum gatilho que o fizesse retornar à realidade. Nada era capaz de fazer com que sua personalidade ressurgisse por mais tempo do que breves lapsos. Nada, a não ser o reencontro com Steve.

O reencontro dos dois é guiado, a priori, pelo completo desconhecimento de Bucky acerca de Steve, visto que os severos danos psicológicos o impediam de relembrar dos momentos de outrora. No entanto, a persistência do Capitão em trazer o amigo à tona e a fidelidade visceral, que o levou a arriscar a própria vida, faz com que Bucky desperte, se lembre do que já viveu e se desvincule das brutalidades que cometeu cegamente. Lealdade esta, ainda, que levou Steve a lutar de forma intensa e dramática com o Homem de Ferro, que fica cego pela dor ao descobrir que Bucky, manipulado pela Hidra, fora o autor do assassinato de seus pais. Mesmo que lhe custasse a amizade com Tony Stark, Steve se manteve fiel e protetivo a Bucky até o fim.

Não fora esse, no entanto, o final de todos os infortúnios na vida de Bucky. Mesmo após o findar dos repetidos e sistemáticos episódios de tortura, que esvaziavam sua mente, permanecia perturbado pelos fragmentos dos horrores vividos. Fora, então, congelado e levado para Wakanda, onde passou por um longo tratamento com Shuri a fim de recobrar plenamente seus verdadeiros instintos e personalidade. Passou a ser tido como lobo branco pelo Pantera Negra, trazendo uma alusão ao irmão branco adotivo de T’Challa nas HQs.

A primeira atuação no mundo dos heróis de Bucky após a cura em Wakanda da lavagem cerebral que sofrera foi na tentativa de combater Thanos e sua persecução pelas jóias do infinito. Pouco tempo após o reencontro com Steve, depois do ritual de cura e na primeira oportunidade de vivência entre os grandes amigos após tanto sofrimento, Bucky é morto pelo vilão na concretização de seu plano de restauração de equilíbrio. A última palavra proferida por Bucky foi “Steve”, seu único elo com o passado e o parâmetro mais concreto de seu futuro e presente.

É, portanto, extensa a lista de habilidades de Bucky, conquistadas após os intensos treinamentos aos quais fora submetido; mas ainda maior a de baques e decaídas que sofrera. O que nos resta é acompanhar os próximos passos do universo cinematográfico da Marvel e esperar que o futuro lhe reserve menos desventuras e sofrimentos.

 

Leave a Reply

%d bloggers like this: